23 março 2007

Um pequeno pé na bunda não faz mal a ninguém

Sabe aqueles dias que você volta de uma viagem da praia direto pro trabalho escravo sem direito de tomar um banho e tirar o sal e a areia do corpo?

Eu vivi este dia e sobrevivi para criar uma história em cima desta situação...Na verdade estava atravessando a maior fase "emo" da minha vida, me sentindo o côcô do cavalo do bandido. Típica cena da mocinha abandonada, discriminada, repudiada, AAAAAH que trágica que eu era, uiuiui...

Pois bem, nem só de dor de cotovelo eu vivia, como também lia algumas coisas, ouvia outras e principalmente lamentava por tudo aquilo, foi então que desisti do papel de vítima e dobrei a manga, peguei um papel da impressora, emprestei um lápis de uma coleguinha e comecei a traçar aquele que seria a obra prima de mim mesma...Mas não foi bem isso que aconteceu, o resultado de toda essa melancolia desarmônica é o " quando as escovas se separarem"
clássico da literatura de banheiro.

Em breve vou postar a história na integra, por agora fiquem só com a capa e não reclamem!

Nenhum comentário:

Baú da Magô