20 agosto 2008

O circo chegou!


Numa bela manhã você abre os olhos por que seu sono foi interrompido por aquela caixa de abelha com rodas ou carro de som (se é que pode se chamar som aquele barulho) fazendo “merchan”, para algum candidato a vereador.

Cai a ficha e você se lembra que é ano eleitoral e que em algum momento esses dinossauros da política iriam bater na sua porta te prometendo tantas coisas que você já nem sabe por onde começar a cobrança!


Você se levanta meio assim, pensando que o dia não poderia ser muito bom afinal acordar com uma música de letra randômica não é sinal de um dia feliz. Ao mesmo tempo, não consegue acreditar que em pleno o século XXI, exista seres humanos que prometem melhorias a sua comunidade, que dizem pensar no coletivo, que julgam que são eles, os dignos dos votos da população e justo essas pessoas sejam as mais inconvenientes e as que mais incomodam!


Aquele pastel de fim de semana que você comia com tanta tranqüilidade na feira, será interrompido por uma dúzia de pessoas entregando aquele maldito papel com uma seqüência de números e aquela foto brega, o famoso “santinho”, que na verdade de santo nem as unhas sujas. Fora que, se você for azarado pode até encontrar com o infeliz pessoalmente, que num gesto de politicagem vem apertar sua mão e você cidadão honesto e educado que é limpa nas calças a gordura do pastel e aperta a mão do candidato chato.


Ou pior ainda, você está no carro, tentando se recuperar do dia maçante no trabalho e daquela feijoada que não desceu bem. Quando repentinamente um grupo de indivíduos uniformizados com as caras mais estranhas, aglomera em volta do seu veículo que está indefeso preso no trânsito e em segundos uma chuva de panfletos inunda o recinto. Sem nem te perguntar eles penetram na sua vida, viris, e goela abaixo enfiam a merda do papelzinho com a seqüência de número e com a foto brega do maldito desocupado na sua fuça!



Não sendo o suficiente, no momento que você já está se preparando para dormir, cansado do dia, daquele tumulto que causaram na sua pacata vida, logo você um pobre portador de um registro geral e um cadastro de pessoa física, logo você, liga a televisão num último ato desesperado por alguma tranqüilidade mental, olha para a tela e não acredita no que vê; aquele desgraçado que acha que é digno do seu voto de confiança, o mesmo desgraçado que lhe impôs aquela música idiota pela manhã, o mesmo que não lhe deixa comer pastel ou ir ao parque público em paz, o mesmo que suja seu o carro e sua a casa com papéis inúteis que não causam somam nada na vida de ninguém, o mesmo que sorri com dentes largos e brancos enquanto repete sua seqüência de números para você memorizar.


Esse mesmo cara que hoje não lhe deixa descansar, que quer tanto sua atenção, que lhe impõe sua presença, será responsável durante quatro longos anos pelas inúmeras dores de cabeça que você terá quando aumentarem os impostos, abandonarem a saúde pública, desprezarem o sistema educacional e tratarem a população incluindo você, como idiotas com título de eleitor!


Não se pode votar numa pessoa que goza da sua inteligência, que não lhe trata com respeito que joga lixo nas ruas do seu bairro com milhões de “santinhos”. Poucos são os dignos do seu voto, por isso, nessas eleições não permita tamanho retrocesso, a política tem que evoluir, o mundo já não é mais o mesmo, porque a maneira de fazer política usa esse molde jurássico e pouco significativo, você tem autoridade como eleitor, seja seletivo, enquanto nós nos comportarmos como mera platéia sempre haverá palhaços neste circo!


* Magô não votará em ninguem esse ano por motivos pessoais :)


.

Nenhum comentário:

Baú da Magô