27 novembro 2008

Um copo cheio à transbordar...

Eu sempre quis entender a cabeça de um suicida, por mais que eu pensasse em bons motivos para tirar minha própria vida, conseguia sempre encontrar outros bons motivos para continuar vivendo.

Viver por completo, individualmente, sem depender de algo ou de alguém. A leveza de ser o que se é e não o que esperam que você seja. Poder errar com alegria, sabendo que a cada erro cometido uma lição foi contemplada. Encontrar refúgio na lágrima e na dor, por mais que essas sejam antipáticas a primeira vista, trazem consigo o conforto de se sentir vivo, também na tristeza reconhecemos nossas fraquezas, nossos desencantos, aonde o calo aperta!

No sorriso, uma injeção de motivação, um sentimento de "começar denovo", uma glória na saudade, um olhar de carinho, uma voz de mãe que nos encaminha, um afago de pai, que nos protege ,um beijo do amigo distante, um amor incondicional de um cachorro pelo seu dono, uma vida a dois, a três e quantos seu coração permitir. Um sonho que se fez ou faz...

Viver assim, sem marra, sem manha, apenas respirar e saber que o ar traz consigo um novo recomeço, mesmo quando não há mais chances na lógica, o invisível se encarrega de trazer a esperança...Mesmo quando a maior e mais profunda tristeza senta ao seu lado para conversar, você como um todo assume sua presença e apenas divaga coisas com ela...Ah, tristeza, como você também me faz feliz!

Achar graça na desgraça, ver luz no fim do túnel, coisas de otimista de gente mal informada , mas pra que tanta informação desnecessária? Pra que tanta futilidade alheia? Pra que tanto pessimismo nocivo?

Andar descalço na terra, tomar chuva, cair e dar risada, levantar com a ajuda de um estranho solidário...Perseverar, preservar...Ter uma segunda e sagrada chance!

Ah, o mundo nos dá caminhos em falso, mas só a realidade de ser o que se é nos faz caminhar continuamente, cada passo, uma história, cada história um personagem, cada personagem, uma glória ou uma tragédia...Construindo sequências que serão estudadas por aqueles que não se atreveram a caminhar errante!

Motivos para me jogar do prédio não faltam, fome mundial, crises econômicas, ditadura maquiada de mocinho, vícios, mentiras, chantagens, amores impossíveis, contas pra pagar, enfim...Motivos não me faltam, porém só o motivo de poder respirar novamente e ter uma nova chance de reescrever a minha história me fazem ter toda a vontade de continuar caminhando e inventado o meu interminável roteiro...

.......Magô em momentos falsamente suicidas........

.....

4 comentários:

rogerio disse...

... a tristeza é ótima! faz bem quando a gente cuida dela (sem auto-piedade), a compreende e acaricia. a tristeza compreendida, depois de um tempo vira alegria! mandou muito bem! =)

rogerio disse...

... a tristeza é ótima! faz bem quando a gente cuida dela (sem auto-piedade), a compreende e acaricia. a tristeza compreendida, depois de um tempo vira alegria! mandou muito bem! =)

Milla disse...

é... "Pra que tanto pessimismo nocivo?"
Até a tristeza é contrutiva, já o pessimismo...
(tdo bem, em qto sejam falsamente os momentos)

Scabini disse...

Adorei o blog, Magô... curto a mistura de textos e desenhos. Dei uma conferida nas tuas charges da MTv,,, bacanas
A ilustração desse texto ficou fodona... e quanto ao texto, me lembrei de um personagem do Idiota, um daqueles nomes russos impossíveis de guardar, que escreveu uma enorme carta de suicídio e na hora H a arma (convenientemente) falhou. Me ajudou muito a entender a cabeça de um suicida. Acho que a maioria está é gritando por ajuda e atenção... os que ficam quietos, esses sim são perigosos...
Bjão, continue fera!

Baú da Magô