03 novembro 2011

Magô está offline e não pode responder!

Sempre me considerei uma artista virtual, pois sempre criei meu trabalho voltado para a internet. Tudo que  publiquei em sites e blogs, foi feito especialmente para este fim. Sou o que pode se chamar de "uma pessoa online", até então tinha a maioria das redes sociais e era membro ativo delas, isso me fez repensar realmente o meu papel como artista, e esta reflexão, este engasgo se transformou numa dúvida imensa e acabei que chegando a conclusão que sou apenas uma geradora de conteúdos.

Gerar conteúdo é nada mais que pinçar informações e colocá-las estrategicamente no hall da sua casa. Você não necessariamente cria ou desenvolve aquilo! Um gerador de conteúdo somente entretém, ele joga as bolinhas coloridas para cima em movimentos circulares, fazendo malabarismo, enquanto você assiste embasbacado a cena, aproveitam para saquear sua casa, levando todas as suas coisas, inclusive suas informações pessoais, seus gostos, sua vida e no final das contas você nem se dá conta, porque está tão feliz vendo as bolinhas que até se acostuma a ficar apenas no hall da sua casa!

O engraçado desta metáfora, da história do hall, é que foi você quem abriu a porta, você os convidou para entrar. Você quem mostrou as fotos em família, as viagens, os amores. Você quem contou quando estava triste, suas ansiedades, suas conquistas e suas aspirações.Você promoveu festas, eventos e no final das contas, você deixou sua vida exposta para que pudessem analisá-la, observá-la, opinando diretamente e até intervindo na sua rotina.

Paradoxalmente, todas as vezes que dividimos informação, como o que eu estou fazendo agora, abrimos uma  janela, uma porta, uma fechadura, deixando propositalmente um rastro para ser encontrado, como se assim precisássemos, como se assim alcançássemos notoriedade.

Eu deixei a porta aberta e fiquei entretida, na verdade deixei-me entreter. Era interessante ver o que as pessoas estavam fazendo, falando. Soando como um voyerismo virtual restrito as palavras, todavia não tirando o prazer em observar sem ser notado. Era ótimo poder dividir minha vida com muitas pessoas, com a ânsia de ser importante e mencionada, deixei a porta aberta por um bom tempo, tempo suficiente para perdê-lo, eu perdi muito tempo e o que me parece é que todos perdem, porém ninguém se importa de ficar horas lendo sobre o nada, eu mesma, não me importava.

Em contrapartida sei que algumas pessoas mantiveram suas portas fechadas, elas não se deixaram levar pelo modismo de ter seu hall de entrada enfeitado, elas não queriam mostrar o hall de suas casas, nem queriam malabarismos por lá. Estavam preocupadas em não se entreter com o marasmo e dispostas a remar contra a maré, abrindo apenas quando necessário suas casas e sabendo muito bem para quem abrir, muitas vezes julguei hipocrisia ou de reacionário essa resistência em não se deixar levar pela rede, contudo eles estavam certos. É a minha vida que estava sendo compartilhada, seguida, curtida e acessada. Era a minha casa que está sendo exposta e consumida, demorei para perceber o engano!

Não quero que soe como alarmista, mas é claro que soará e também será hipócrita, eu já me contradisse muitas vezes e espero continuar assim fazendo. Na verdade eu já havia ensaiado sair das redes sociais antes e até mesmo da internet como um todo. Deletar esse blog, o meu site e voltar a ser só a Maria Goretti, entretanto eu ainda tenho coisas a fazer, não serei mais geradona de conteúdo, mas sim volto assumir a responsabilidade da criação, de ser eu responsável pela mudança que quero ver.

Heroismos e discursinhos a parte, tomarei pouco seu tempo agora. Entro no que posso chamar de ócio criativo de espasmos artísticos. Comecei a desenvolver um material que pode ser um livro, pode ser uma graphic novel. O mais importante nisso tudo e o porquê de tanta palavra lançada é que eu estou de volta, criando de verdade e sendo responsável por administrar minha casa e minhas informações.

Não quero ser e nem soar anti-mídias digitais, redes sociais, essa porra toda... Na verdade, meu texto é apenas um prelúdio da minha ida e uma nota da minha volta. Nada mais, nada menos!

Queria ilustrar em palavras o motivo da minha ausência e principalmente compartilhar minha experiência e minhas conclusões acerca dela. Se é interessante ou não, isso não importa, o que importa é expressar. É eu ser crítica e expressar minhas experiências, não suas, não de ninguém, mas as minhas, pois somente com as minhas experiências que posso ter a excepcionalidade.

Não estou surtando, deveria, mas não estou. Quero apenas ter mais tempo para fazer o que eu tenho q fazer, produzir, criar e até mesmo gerar conteúdo, não para a internet e nem para as pessoas, mas pra mim mesma!

Depois de excluir o Facebook me dei conta de que poderia ter feito isso muito antes, ou melhor, nunca ter entrado, afinal de contas eu sou uma pessoa...Eu não quero ter um perfil, não quero ter uma time line, pois enquanto eu me entretenho com a time line virtual, a minha time line real está correndo, correndo e correndo...

O meu blog   o meu site, continuarão a existir. Não sei por quanto tempo, contudo estarão online por enquanto, pois nos meus blogs e sites meu trabalho é o foco e não a minha pessoa. A minha pessoa está se retirando!

Eu agora em diante estou OFFLINE!



3 comentários:

Zé Luiz Sykacz disse...

Putz... E agora, como faz?

Assim, quem sou eu pra julgar as razões que te levaram a cometer o "facebookcídio", mas independentemente disso é fato que são poucas as pessoas corajosas o suficiente para tomar a atitude que você teve. É uma pena não ter mais sua companhia virtual constante, mas por tudo que li acho que é uma experiência válida, que você está tomando com melhor das intenções. E por mais que não seja uma notícia agradável saber que não estará sempre por perto, não dá pra não ficar feliz em saber que você está procurando o que te faz mais feliz... Ao menos até que o tempo te prove o contrário (ou não).

Enfim... Saiba que off ou on, da minha parte você pode sempre contar comigo e meus joínhas (mesmo que invisíveis), viu?

Beijo Magô!

Magô Pool disse...

Zé...se tem uma coisa que agradeço nisso tudo aqui é o fato de realmente existir a possibilidade de fazer amigos por estes meios.E você é uma prova disso!

Sinta-se curtido e querido sempre por mim...Mesmo eu não estando mais na rede, continuo por aqui, falando e desenhando merdas! hahaha

Vamos fazer nossos projetos rolarem Zééé... :)

Beijo grande!

mildatelie disse...

!!!

Baú da Magô