12 junho 2012

O amour está no ar!

O amour está no ar, assim como o vírus da gripe que me contaminou! Ambos tomam a gente e nos deixam febris...

Tá, sei que foi uma comparação tosca, digna de alguém que está bem doente (e também apaixonada, porque não) e não conseguiu pensar em nada tão romântico para agraciar vocês, meus queridos leitores!

Eu poderia escrever coisas lindas sobre esta data de romance, poderia escrever que o amor é isso ou aquilo, mas a verdade é que eu não faço ideia do que o amor seja, sei apenas o que ele não é...

E quando chega o dia dos namorados o que eu sinto é mais uma avalanche de comerciais pregando o quão é bom estar com alguém, o quão é bom amar e ser amado, e toda a frescura comercial empurrando guela abaixo presentes perfeitos (e caros, muitas vezes desnecessários) para a pessoa amada, fazendo em contrapartida todo mundo que não tem esse alguém aumentar ainda mais os lucros dos bares e botecos da vida, a solução para quem não tem seu cobertor de orelha por perto é se esquentar a moda antiga...Com uma bela dose de cachaça!

Ano passado foi engraçado que foi meu primeiro ano solteira depois de muitos anos não solteira. É meio assustador passar pelo Dia dos Namorados sozinha, sei que soa bem idiota eu dizer isso, mas é foda. Primeiro porque rola aquela amiga de outrora chamada "Carência Maldita", essa aí sempre cola nos momentos errados para transformar uma noite fria em uma eterna passagem pelo inferno. Quando não é a carência é a contaminação propagandista, fica difícil ser imune ao arsenal preparado nesta data para celebrar o amor... Tá certo que esse amor é só uma justificativa para consumo, mas quem se importa? Nesse momento tudo que você mais quer é se individar e comprar uma porcaria de presente pra alguém que você ame, porque o presente em si é mero detalhe, o grande lance é ter o tal "alguém que você ame".

Lembro que nesta mesma data ano passado eu senti um vazio estranho, mas aquela sensação passou, como geralmente tudo passa, e ter alguém do lado é meio relativo, até porque você pode ter alguém por perto e esse estar tão longe, dormir na mesma cama e saber que só seu corpo está lá, sua mente está em outro lugar. Como também estar com alguém há milhas e milhas de distância (física) de você e esse alguém ser mais presente do que qualquer outro já foi de uma maneira que você nem sabia que existia, o amor não é racional e muito menos exato, por isso é totalmente relativo!

Eu espero que todos possam usufruir de momentos a dois, mas que principalmente aprendam que mesmo sozinhos podem (e devem) ser muito felizes. Para os casais eu desejo um feliz dia dos namorados e para os solteiros, encontro vocês no bar!

:D




Trilha do dia!

 ...

Nenhum comentário:

Baú da Magô