07 agosto 2013

Meu estado de espírito: LAICO!

Estou longe de ser defensora da televisão e de tudo que ela representa como meio de comunicação de massa. Nem busco tal pretensão de defender qualquer coisa. Eu gosto mesmo é de pegar fragmentos do conteúdo da TV e analisar, faço isso com a facilidade da tecnologia que me possibilita assistir apenas o que me interessa através da internet. Poderia defender esse meu interesse em parcialidades da televisão pelo fato de ser formada em Radio e Televisão e ter afinidade com o tema, mas seria hipócrita afirmar isso, uma vez que corre longe do meio acadêmico essa minha necessidade de entender certos conteúdos.

Tudo isso previamente dito para entrar no assunto que vem agora, tão delicado, tão complexo e polêmico (mas não vou falar de mamilos). Estava eu navegando pelo facebook e vi uma chamada ao Programa Global "Na Moral" apresentado pelo anfitrião do BBB, Pedro Bial. O programa pelo que entendi é uma tentativa de roda de discussão aberta a um tema, lógico que dentro dos padrões do politicamente correto da Rede Globo. Os convidados são pessoas representativas ao tema e eles tecem uma miscelânea de ideias, com intermédio exaustivo do apresentador, é claro.

No programa em questão exibido no dia 01 de Agosto,  o tema desenvolvido foi liberdade religiosa e contou com a presença de um padre, um pastos, um babalorixá e um ateu. Poderia ter corrido tudo na mais "santa" paz se entre os convidados não estivesse o pastor (star) Silas Malafaia. Ele acompanhado do Padre Jorjão, do babalorixá Ivanir dos Santos e o ateu Daniel Sotto-Mayor travaram uma ferrenha discussão sobre democracia e fundamentalismo. 

Vou ser sincera, não tenho intenção de ser imparcial, uma porque este blog não é jornalístico, outra porque eu falo em primeira pessoa e não vou me abster da minha opinião sobre este episódio. Estava claro que ali existiam boas intenções de dialogo, nítido por parte da igreja católica representada pelo padre que optava pelo silêncio e por frases do tipo "melhor um bom cristão que um mau católico" respondendo sobre a ascensão do número de evangélicos no Brasil. Isso me assusta por em alguns anos os evangélicos serão a grande maioria neste país tropical abençoado por Deus. 

Ora, eu sou de uma família tradicionalmente católica, do qual sem escolha tive que participar de todos os dogmas até o momento onde optei pelo ateísmo, do qual hoje tenho ainda dúvidas sobre o que realmente eu creio, contudo essas dúvidas não me direcionam a nenhuma religião, ao contrário estou cada vez mais certa que deus está bem longe de qualquer instituição que fale em nome dele. Entretanto não é essa a minha ideia ao redigir este texto, de determinar minha visão teísta sobre deus ou qualquer energia cósmica superior, não. Nem dizer o que é certo ou errado. Religiões são escolhas pessoais e devem ser apenas direcionadas para vida e não espelhada na vida alheia, por isso sou militante dos direitos civis homo-afetivos porque considero equivocado o estado tomar como inapropriada decisões de cunho moral, a moral é algo pessoal, em termos de ética, que é um padrão coletivo de conduta, todos os cidadãos independente de sua orientação afetiva tem direitos iguais, isso é indiscutível. 

Todas as tentativas de prejudicar os direitos legítimos de um cidadão ferem a identidade democrática do país e aí vem a minha preocupação, a maioria de projetos, leis, emendas que batem de frente com os direitos civis de homens e mulheres LGBT são propostas enviadas por representantes públicos que levam sua fé para julgar o interesse comum, em sua maioria cristãos evangélicos.

O Pastor Silas Malafaia fala muito bem, é articulado, dramático e tem uma convicção que chega a assustar na fala. Como psicólogo o Pastor Silas sabe bem o que dizer e a quem dizer, por isso hoje é um dos maiores representantes da igreja evangélica no Brasil com uma legião de seguidores. Em termos de comunicação o Pastor Silas Malafaia é um ícone de massa, um formador de opinião, como várias celebridades, artistas, esportistas, políticos entre outros de destaque. Suas palavras conduzem uma linha de raciocínio daqueles que confiam na sua lógica, portanto se o Pastor condena religiões afro, todos seus seguidores irão teoricamente ter uma linha a ser seguida, não significando que eles agirão conforme dita o pastor. Quando ele critica e se diz contrario aos direitos igualitários dos homo afetivos, contra o direito da mulher de aborto, automaticamente se instala ali um dos maiores empecilhos de evolução humana, o preconceito!

Os cristãos parecem esquecer que seu líder Jesus Cristo, foi um arruaceiro, com perdão da palavra, aceitava o diferente, andava com os pobres e marginalizados como prostitutas, ladrões, enfermos e até mesmo com os gays, ou você acha que não existiam gays na época de Cristo? Inocência ou até mesmo ignorância um ser humano se achar mais evoluído que o outro por ter tido oportunidade de estudar e se considerar melhor. Melhor em que? Em argumento de violência e intolerância. 

Bonito mesmo foi ver o Babalorixá Ivanir dos Santos dando o maior exemplo de aceitação e coexistência, convidando ao Pastor Silas Malafaia a dar o exemplo e caminhar junto a ele numa passeata a favor da liberdade religiosa. Mas é claro que Malafaia se esquivou de respostas e disse que não precisava caminhar ao lado para dizer que é a favor da causa. Perdeu uma chance enorme de mostrar hombridade, mas todos sabemos que o Pastor com pinta de celebridade, apaixonado pelas câmeras e dono de um império quer mesmo é distância dos terreiros e de seus representantes.

Muito menos que ele quer dialogar com os ateus, existe uma raiva contida no coração de muitos cristãos quando se fala em ateísmo, o Papa mesmo disse que os ateus não vão para o inferno, até porque os ateus nem acreditam nessa ideia punitiva de inferno, muito menos na vida após a morte, contudo o Vaticano teve que se retratar em carta oficial dizendo "Não, os ateus vão sim para o inferno". Mas o inferno que os ateus vivem é em vida, perseguidos muitas vezes pela intolerância dos tidos abençoados e escolhidos por Deus. O mesmo acontece com alguns ateus que promovem preconceito e intolerância para com todos os evangélicos, nem todos são como o Pastor Silas, existem sua minoria. 

É como procurar solidariedade no PSDB, quase impossível, mas talvez lá na curva, aonde o vento corre lento você encontre uma pessoa de direita com o coração aberto ao social. Quem sabe um dia você encontre um evangélico que não siga a Teoria da Prosperidade e se importe mais em ser humilde e viver como Cristo que tinha tão pouco ou quase nada. 

O catolicismo está esperto, resolveu apostar num representante do gueto, alguém com sangue latino e com discurso de humildade, totalmente diferente da fala do Pastor que resume prosperidade em cifrões. Não é atoa que os pastores brasileiros encabeçam a Revista Forbes como os pastores mais ricos do mundo. Enquanto isso na simplicidade de ser o babalorixá Santos só quer ter o direito de professar sua fé, sem ser chamado de macumbeiro pelos cristãos que se pudessem atariam fogo e os queimariam em praça pública como fizeram com tantos outros em outras épocas.

Agora os evangélicos mais articulados estão indo para as cabeças do sistema, a bancada cresce como um tendência dentro do plenário.Uma prova do que eles podem fazer quando assumirem o poder é ferir a constituição, ou você acha que a Cura Gay é algo palatável? É retrocesso, é descomeço, é o famoso tiro no pé.

O programa Na Moral foi uma pequena síntese do que é discutir liberdade religiosa no país, eu não sou imparcial, eu tenho minhas convicções, sou contra um monte de posturas e falas, contudo eu nunca vou impedir ninguém de se manifestar contanto que esse manifesto não atrapalhe os direitos coletivos que são maiores que sua fé ou seu gosto, são sagrados!

A maior lição que fica é a do respeito, não existe nada sólido que possa ser construído sem respeito, eu com minhas convicções e falas espero não ter ofendido ninguém, não é essa minha intenção, todavia está claro que muitos ainda pensam estar em épocas medievais e esquecem que acima de qualquer coisas somos humanos e iguais em nossas diferenças!






Nenhum comentário:

Baú da Magô